sábado, 3 de dezembro de 2016

Reunião Publica (324) - O Evangelho Segundo o Espiritismo

Ano X - 27/11/2016

CAPÍTULO II
MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO

A vida futura. - A realeza de Jesus. - O ponto de vista. - Instruções dos Espíritos: Uma realeza terrestre.

1. Pilatos, tendo entrado de novo no palácio e feito vir Jesus à sua presença,
perguntou-lhe: És o rei dos judeus? - Respondeu-lhe Jesus: Meu reino não é deste
mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, a minha gente houvera combatido para
impedir que eu caísse nas mãos dos judeus; mas, o meu reino ainda não é aqui.
Disse-lhe então Pilatos: És, pois, rei? - Jesus lhe respondeu: Tu o dizes; sou rei;
não nasci e não vim a este mundo senão para dar testemunho da verdade. Aquele que
pertence a verdade escuta a minha voz. (S. JOÃO, cap. XVIII, vv. 33, 36 e 37.)

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Reunião Publica (324) - O Livro dos Espíritos

Ano X - 27/11/2016

CAPÍTULO VIII
DA EMANCIPAÇÃO DA ALMA

Letargia, catalepsia, mortes aparentes

423. Na letargia, pode o Espírito separar-se inteiramente do corpo, de modo a
imprimir-lhe todas as aparências da morte e voltar depois a habitá-lo?

“Na letargia, o corpo não está morto, porquanto há funções que continuam a
executar-se. Sua vitalidade se encontra em estado latente, como na crisálida, porém não
aniquilada. Ora, enquanto o corpo vive, o Espírito se lhe acha ligado. Em se rompendo, por
efeito da morte real e pela desagregação dos órgãos, os laços que prendem um ao outro,
integral se torna a separação e o Espírito não volta mais ao seu envoltório. Desde que um
homem, aparentemente morto, volve à vida, é que não era completa a morte.”

424. Por meio de cuidados dispensados a tempo, podem reatar-se laços prestes a se
desfazerem e restituir-se à vida um ser que definitivamente morreria se não fosse
socorrido?

“Sem dúvida e todos os dias tendes a prova disso. O magnetismo, em tais casos,
constitui, muitas vezes, poderoso meio de ação, porque restitui ao corpo o fluido vital que
lhe falta para manter o funcionamento dos órgãos.”

A letargia e a catalepsia derivam do mesmo princípio, que é a perda temporária da
sensibilidade e do movimento, por uma causa fisiológica ainda inexplicada. Diferem uma
da outra em que, na letargia, a suspensão das forças vitais é geral e dá ao corpo todas as
aparências da morte; na catalepsia, fica localizada, podendo atingir uma parte mais ou
menos extensa do corpo, de sorte a permitir que a inteligência se manifeste livremente, o
que a torna inconfundível com a morte. A letargia é sempre natural; a catalepsia é por vezes
magnética.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Reunião Publica (323) - O Evangelho Segundo o Espiritismo

Ano X - 20/11/2016

Capítulo I - NÃO VIM DESTRUIR A LEI
A Nova Era (O Evangelho Segundo o Espiritismo)

11. Santo Agostinho é um dos maiores vulgarizadores do Espiritismo. Manifesta-se
quase por toda parte. A razão disso, encontramo-la na vida desse grande filósofo cristão.
Pertence ele à vigorosa falange do Pais da Igreja, aos quais deve a cristandade seus mais
sólidos esteios. Como vários outros, foi arrancado ao paganismo, ou melhor, à impiedade
mais profunda, pelo fulgor da verdade. Quando, entregue aos maiores excessos, sentiu em sua
alma aquela singular vibração que o fez voltar a si e compreender que a felicidade estava
alhures, que não nos prazeres enervantes e fugitivos; quando, afinal, no seu caminho de
Damasco, também lhe foi dado ouvir a santa voz a clamar-lhe: "Saulo, Saulo, por que me
persegues?" exclamou: "Meu Deus! Meu Deus! perdoai-me, creio, sou cristão!" E desde então
tornou-se um dos mais fortes sustentáculos do Evangelho. Podem ler-se, nas notáveis confissões
que esse eminente espírito deixou, as características e, ao mesmo tempo, proféticas palavras que
proferiu, depois da morte de Santa Mônica: Estou convencido de que minha mãe me virá visitar e dar
conselhos, revelando-me o que nos espera na vida futura. Que ensinamento nessas palavras e
que retumbante previsão da doutrina porvindoura! Essa a razão por que hoje, vendo chegada
a hora de divulgar-se a verdade que ele outrora pressentira, se constituiu seu ardoroso
disseminador e, por assim dizer, se multiplica para responder a todos os que o chamam. -
Erasto, discípulo de S. Paulo. (Paris, 1863.)

Reunião Publica (323) - O Livro dos Espíritos

Ano X - 20/11/2016

CAPÍTULO VIII
DA EMANCIPAÇÃO DA ALMA
Letargia, catalepsia, mortes aparentes

422. Os letárgicos e os catalépticos, em geral, vêem e ouvem o que em derredor se
diz e faz, sem que possam exprimir que estão vendo e ouvindo. É pelos olhos e pelos
ouvidos que têm essas percepções?

“Não; pelo Espírito. O Espírito tem consciência de si, mas não pode comunicar-se.”

a) - Por quê?

“Porque a isso se opõe o estado do corpo. E esse estado especial dos órgãos vos
prova que no homem há alguma coisa mais do que o corpo, pois que, então, o corpo já não
funciona e, no entanto, o Espírito se mostra ativo.”

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Reunião Publica (322) - O Livro dos Espíritos

Ano X - 13/11/2016
DA VOLTA DO ESPÍRITO À VIDA CORPORAL

CAPÍTULO VIII
DA EMANCIPAÇÃO DA ALMA

Transmissão oculta do pensamento

420. Podem os Espíritos comunicar-se, estando completamente despertos os
corpos?
“O Espírito não se acha encerrado no corpo como numa caixa; irradia por todos os
lados. Segue-se que pode comunicar-se com outros Espíritos, mesmo em estado de vigília,
se bem que mais dificilmente.”

421. Como se explica que duas pessoas, perfeitamente acordadas, tenham
instantaneamente a mesma idéia?
“São dois Espíritos simpáticos que se comunicam e vêem reciprocamente seus
pensamentos respectivos, embora sem estarem adormecidos os corpos.”

Há, entre os Espíritos que se encontram, uma comunicação de pensamento, que dá
causa a que duas pessoas se vejam e compreendam, sem precisarem dos sinais ostensivos
da linguagem. Poder-se-ia dizer que falam entre si a linguagem dos Espíritos.